DSpace DSpace

Biblioteca Digital do IPG >
Escola Superior de Saúde (ESS) >
Relatórios de Estágio >
Mestrados >
Mestrado em Enfermagem Comunitária >

Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10314/5017

Título: Humanização dos Cuidados de Enfermagem nos Cuidados de Saúde Primários: perceção dos enfermeiros
Autores: Pinto, Tânia I S
Palavras Chave: cuidar
humanização
enfermagem
cuidados de saúde primários
Data: 25-May-2020
Editora: Instituto Politécnico da Guarda
Relatório da Série N.º: 616-083 PIN
Resumo: Enquadramento: Humanizar é um processo de comunicação e apoio mútuo entre pessoas, processadas em prol da transformação e compreensão do espírito essencial da vida. Esse processo gera um vínculo entre enfermeiro/pessoa/família, para se criarem soluções oportunas, rápidas e de qualidade que potenciam ganhos em saúde. Na sociedade atual é necessário humanizar os cuidados, sensibilizar os enfermeiros para os problemas psicossociais que a pessoa apresenta quando se dirige às instituições que prestam cuidados de saúde. É necessário também refletir sobre o facto de que o avanço da ciência e o desenvolvimento tecnológico estão a relegar para segundo plano a humanização dos cuidados de enfermagem em geral e, no caso concreto, em contexto de cuidados de saúde primários. Objetivos: Conhecer as perceções dos enfermeiros em relação à humanização dos cuidados de enfermagem no contexto de cuidados de saúde primários. Metodologia: Estudo qualitativo, com recurso ao método fenomenológico-hermenêutico, tendo como instrumento de recolha de dados a entrevista semiestruturada. Quanto aos participantes no estudo foram selecionados quinze enfermeiros a exercerem funções numa Unidade de Cuidados de Saúde Personalizados (UCSP) do ACeS da Região Centro de Portugal. Recorreu-se à análise qualitativa de dados, apoiando-se na análise de conteúdo. Resultados: Da análise do verbatim das entrevistas emergiram cinco categorias: “Significado/conceito de humanização de cuidados de enfermagem”, “Obstáculos/dificuldades reconhecidas pelos enfermeiros que prejudicam a prática dos cuidados humanizados na UCSP”, “Alterações/estratégias a adotar para melhorar ou tornar os cuidados mais humanizados na UCSP”, “Humanização dos cuidados de enfermagem no local de trabalho (UCSP)”, “Áreas da humanização dos cuidados por parte do enfermeiro”. Na categoria “Significado/conceito de humanização de cuidados de enfermagem” as subcategorias mais referenciadas foram: “Ver a pessoa como um todo – visão holística”, “Humanizar os cuidados”, “Respeito pela pessoa”, “Relação empática/terapêutica com a pessoa e com a equipa” e “Toda a intervenção que o enfermeiro tem com a pessoa”. Na categoria “Áreas da humanização dos cuidados por parte do enfermeiro”, a subcategoria mais referenciada foi “Comunicação/relação de ajuda”. Quanto à categoria “Humanização dos cuidados de enfermagem no local de trabalho (UCSP”, a subcategorias mais referenciadas foram: “Nem sempre” e “Prestação de cuidados humanizados”. Na categoria “Obstáculos/dificuldades reconhecidas pelos enfermeiros que prejudicam a prática dos cuidados humanizados na UCSP”, sobressaíram as seguintes subcategorias: “Infraestruturas físicas da Unidade”, “Não assegurar a privacidade da pessoa”, “Falta de material”, “Falta de incentivo/motivação, “Falta de tempo”, “Não valorização da carreira” e “Falta de recursos humanos”. Na categoria “Alterações/estratégias a adotar para melhorar ou tornar os cuidados mais humanizados na UCSP”, as subcategorias com mais referenciação por parte dos enfermeiros foram: “Melhorar as infraestruturas da Unidade”, com dez unidades de registo, “Mais formação no curso base sobre humanização dos cuidados” e “Mais união da equipa de saúde”. Conclusão: Os enfermeiros atribuíram valor à prática de cuidados humanizados, apesar de se depararem com vários obstáculos/dificuldades para a sua plena concretização. As evidências apontam para a necessidade de se dotarem as instituições de saúde de recursos humanos e materiais que ajudem os enfermeiros a promover cuidados humanizados e congruentes com cada pessoa, traduzindo-se numa melhor compreensão das necessidades da pessoa que se refletirá em maior qualidade de cuidados, saúde e bem-estar. É de realçar a importância de mais formação na área dos cuidados humanizados, sobretudo no curso base, para os estudantes de enfermagem, especialmente durante os ensinos clínicos, uma vez que ficou demonstrado que estes apresentam lacunas a este nível.
URI: http://hdl.handle.net/10314/5017
Aparece nas Colecções:Mestrado em Enfermagem Comunitária

Ficheiros deste Registo:

Ficheiro Descrição TamanhoFormato
E Com - Tânia I S Pinto - RESUMO.pdf298KbAdobe PDFVer/Abrir
Sugerir este item a um colega